Páginas

sábado, 19 de novembro de 2011

Além da morte e de alguns maconheiros da USP


Ei? Ei? Você está ai?
Se não estivermos mortos, nos comunicando em outro plano espiritual devido um boato do fim do mundo que foi a última postagem minha, vamos continuar...
Nesta última semana a todo o momento, somos informados a que pé anda a invasão da policia na favela (comunidade) da Rocinha. De maneira alguma tiro o mérito da peême e dos “Tropa de Elite”. Mas é engraçado que em um local onde seria de level 10 de dificuldade, eles – ao que parece – tiveram uma dificuldade level 3, isto porque o óleo derramado nos morros atrapalhou a subida de carros. Já a prisão do Nem; hun! O Nem não devia estar lá, o Nem não deveria estar ali, e nem muito menos nem no Rio, nem de longe o Nem era pra ficar no sovaco do Cristo. Era o cara certo, no lugar errado numa jogada de sorte da polícia.
O sensacionalismo global quando apresentou a disparidade econômica foi cômica!
Oras bolas! Isto ocorre no mundo, e lá não seria diferente, de um lado prédios que suas coberturas se nivelam com os barracos do morro. De um lado personagens das novelas, dos joguinhos com famosos; da Malhação (nheca!). Do outro os foragidos, os que fazem da vida um jogo, os que aparecem nos jornais sangrentos assistidos por que não tem nada o que fazer. E outra, já passei algumas vezes perto duma das entradas da Rocinha e não se difere da maioria das grandes cidades. Desigualdade social não tem fronteiras geográficas.
Garotinho. Esse é o nome da linha de restaurante popular que oferece um super bandejão – eu sempre almoço em um destes restaurantes quando vou lá – por R$ 1,00. É uma comida maravilhosa, num local que deixaria um antropólogo feliz. Então ficar mostrando as latas vazias com cara de coitado não cola mais.
Outro fato que é engraçado é que as UPP.s até o momento só foram implantadas perto do centro e zona sul, ou seja, onde tem gente com grana, os ricaços. Pro lado da zona oeste que é onde sempre vou, nunca vi UPP.
E os traficantes, os bandidos? Praondéquiesfoi? Era só o Nem e mais uns da diretoria do omi?
A cada dia descobrem armas, drogas, e todo aparato que faz o crime girar, no dia que governo “ganhou” a Rocinha, houve discurso do Cabral – não confunda com o Descobrimento do Brasil- Beltrame, depoimentos de moradores da Rocinha, etc. Mas o erro maior é do próprio governo, que não é de hoje que não soube administrar a questão do crime no Rio. Outro exemplo disto, foi o comentário que Aécio Neves fez, quando soube que o governo carioca, estava fazendo vista grossa em relação às milícias, Aécio disse que estava se criando um estado paralelo, já prevendo o inferno que isto daria.
Outro fato que penso é o seguinte, além dos serviços comunitários, inserção social e blá, blá, blá, a Light (fornecedora de energia elétrica) terceirizou uma empresa para acabar com todos os gatos elétricos que tem aos montes por quase todo o Rio. Agora se o negozim atrasar o pagamento da conta de luz por 60 dias, ela será desligada, e nada de alicates, homens em postes e fios cortados, o fornecimento de energia será cancelado com apenas um click num botão, um chip. Quer dizer que não é apenas a população que ganhará...
Estas UPP.s foi uma jogada durante a campanha política que vingou e devido os megaeventos previstos, não tem como parar agora, só que em algumas vezes está muito para inglês ver.

2 comentários:

  1. Como consegue enfrentar aquela fila enorme de dobrar quarteiroes pra almoçar no 1 real. Gente a fome é negra mermo... ou a economia faz o homem/ sodades doce garotinho. Antony

    ResponderExcluir
  2. Rs. Eu adoro o Rio, e prefiro almoçar tradicionalmente falando do que o popular refresco e salgado no valor de "02 contos".
    E aquela muvuca é legal!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails