Páginas

terça-feira, 19 de julho de 2011

Genomas, radiação e Lampião

Ontem, minha esposa e eu terminamos de assistir o DVD (pirata) do último filme dos X-Men.
Genes alterados, super poderes, e tudo mais o que a ficção da sétima arte nos poderia dar.
Só que cinema é uma coisa a realidade é outra.
Dia 15 deste mês li uma matéria em que as autoridades japonesas identificaram na região de Asakawa, uma área destinada a alimentação de gado estava contaminada com césio radioativo.  O pasto fica perto da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi. O nível de radiação estava 73 vezes acima do considerado, o que causou isolamento do pasto. A descoberta foi depois que descobriram que a carne bovina de uma região próxima a Asakawa estava contaminada. O césio se parece – quimicamente falando – com o Sódio e com o Potássio, que são substâncias aproveitadas por nosso organismo, ele é absorvido e demora a ser expelido, durando por muito, muito, muito tempo e envenenando muito, muito quem o absorve, em média uns 30 anos.
Mas se você pensa que o acidente nuclear no Japão, ocorreu após o 11 de março, estais enganado pobre criatura! Ou melhor, estais certo e equivocado ao mesmo tempo, pois durante os anos 80 e 90 a Tepco, falsificou dados em inspeções, falsificou relatórios, omitiu dados ao governo etc. Desde a década de 80 começou-se a perceber fendas, fraturas e irregularidades nos tanques de pressão de reatores. Estes problemas constatados em manutenções ou não, mesmo sendo modestos já colocavam em xeque a segurança nuclear da população.
Parece que a terra do National Kid, Ultraman, Jaspion e Jiraya pisaram feio na bola.
Voltando a falar dos X-Mens, nos States a coisa não foge muito do assunto.
Handford, no estado de Washington, possui o maior lixão nuclear do mundo. Tem desde restos de projetos nucleares realizados nos States, como sucata da bomba que detonou Nagasaki, até restos da produção de Plutônio e Urânio enriquecido para bombas atômicas americanas, durante a Guerra Fria. São mais de 200 milhões de toneladas de lixo radioativo, sendo o local de maior contaminação nuclear do mundo, perdendo apenas para Chernobil. A diferença é que Chernobil é tratada com precaução tendo cidades desabitadas como a cidade de Pripyat.
Enquanto Handford já foi até palco de experiências como o lançamento de gás radioativo na atmosfera, para ver os efeitos sobre a população, bebês que sofreram o dobro de contaminação que os de Chernobil, moradores locais e a população indígena que necessitavam da pesca do rio, rio este que escorreu mais de 3,8 milhões de toneladas de lixo radioativo tanto para ele como também para o lençol freático, sendo o desastre reconhecido pelo próprio governo. É; na terra do Capitão América e do professor Charles Xavier, o governo também sabe fazer feio.
Ainda sem mudar de opinião, concordo com a pesquisa de novos métodos de fonte de energia alternativa, e de fracassos por fracassos, continuemos com nosso Virgulino Ferreira da Silva, iluminando e/ou gerando energia para terrenos tupiniquins com fontes menos perigosas, Lampião.

2 comentários:

  1. Por favor me explique o último parágrafo. Minha alta ignorância tá gritando com este texto.

    ResponderExcluir
  2. Talvez eu tenha sido meio confuso. Vamos lá.
    Sempre fui a favor da pesquisa e aplicação se possível de novas fontes de energia por aqui, até mesmo a nuclear que ainda tem se um preconceito em relação a mesma.
    De fracassos a fracassos, é porque os heróis nipônicos burlaram o governo, otimiram a real situação dos reatores colocando a população em risco, independente do tsunami ou não, pois as paredes já não apresentavam a mesma resistência, isto claro, devido o tempo e a constante radiação exercidada sobre elas, ficando claro que as explosões foram químicas e não nucleares, pois a causa foi o aumento da temperatura e não a reação em cadeia dos núcleos dos átomos.
    Já os heróis americanos, tratou a população de Handford com desrespeito a vida (onde estão os direitos humanos), como se fossem cobaias...
    Então, ainda prefiro nosso herói Lampião, pois lamparinas são mais manuseáveis, e mais fáceis de serem controladas. Esperando que novas alternativas sejam pesquisadas e popularizadas como a grande quantidade de Tório que existe pras bandas da Bahia, material radioativo que pode ser usado para fins energéticos.
    Ajudei?

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails