Páginas

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Pular a cerca

Com todo o bafafá que está rolando dum determinado casamento, dizendo que é o mais esperado dos últimos anos por todo mundo, e  levando em conta que maio é considerado o mês das noivas devido a tradição vinda dos países do hemisfério norte, porque nesta época a primavera está bombando por lá daí associaram as flores às mulheres, falaremos de algumas coisas que deveriam faltar; mas geralmente são presentes nos casórios. Vamos deixar de lado os arranjos de flores, lista de convidados, escolhas de locais para lua de mel, padrinhos e vamos falar de assuntos pós casamento, a poligamia.

Primeiro, no Império Romano, matrimonium era usada para definir o papel da mulher casada, ser mãe. E patrimonium era delegado aos homens, que era gerir os bens. Na contabilidade entende-se riqueza como acúmulo de bens, vocês já devem ter ouvido falar algo semelhante, mas o foco agora não é este.
Pra não parecer machista, primeiro vamos definir poliandria que é quando uma mulher vive casada com vários homens.
Já a poligamia em definição grega, é a união reprodutiva entre mais de dois indivíduos de uma mesma espécie, muitos matrimônios. MESMA ESPÉCIE VIU?
Não é de hoje que a poligamia é usada em grupos humanos, no Islã é regulamentada pelo Alcorão onde os homens podem ter no máximo 4 esposas, já o profeta Maomé teve 16 casamentos simultâneos.
No Velho Testamento, diz que o Rei Salomão tinha 700 esposas e 300 concubinas (Reis 11:3), assim como Davi (Samuel 5:13), e convenientemente parece que Moisés referia-se apenas a mulher casada e nunca ao homem.
Dizem que foi a partir de 1439, no Concilio de Florença que transformou o matrimônio no sétimo sacramento, ocasião onde o papito Eugênio IV falou em alto e bom som “o que Deus une, o homem não separa” desde então a poligamia começou a ser imperdoável por algumas igrejas, sendo punível até hoje.
Como eu disse por algumas igrejas, pois a Igreja Mórmon tem um histórico invejável pra quem adora uma traiçãozinha, segundo relatos, não tem praticado poligamia a mais de cem anos, mas ninguém nega que tal prática aconteceu no século 19. Instaurada por Deus, através de Joseph Smith, como todas as coisas eram para ser restauradas, desde princípios, conhecimento, etc, e a prática da poligamia seria, portanto parte destas coisas. A doutrina Mórmon é bem bonita de se ler, apenas ler pra mim basta.
E diante de tantas definições embasadas em conceitos respeitados e dos clichês como; “a fruta boa é a do quintal do vizinho”, o que vocês acham?

2 comentários:

  1. O que será que incomodou esta pessoa neste tão falado casamento? O que o aflige? Poligamia? Monogamia? Os Mórmons com seus ternos chiquérrimos comprados com os 10 ou 15% de dízimo? ô coração aflito gente.
    Por ser quase que totalmente contra a traição,leia esse post com 5 dicas para ajudar a identificar seus sinais. Na verdade serve também para reconhecer se o seu rolo/lanchinho/caso, etc está sendo dividido por outras mulheres. fique atento Segue:

    1-) Cabelos – Os lugares que ele mais gosta de se instalar são no banco de carro, no sofá da sala e no ralo do banheiro. Que eu me lembre não tem mais amigos com cabeludo comprido.

    2-) Camisinha – Com exceção da camisinha que damos no posto, nunca vi a venda unitária delas. Geralmente são vendidas em pacotes de 3. Portanto, é bom ficar de olho se o cara aparecer com uma ou duas avulsas da Jontex.
    3-) Adereços femininos pequenos – As vezes eles se perdem, porque a pegação começou na sala, as roupas foram ficando pelo caminho e ai puff! Travesseiro – Como mulher adora passar um treco na cabeça, hidrantes pelo corpo, rosto, loções mil e perfume, qualquer superfície que ela encostar a cabeça por mais de algumas horas vai reter o cheiro. Sendo assim, o travesseiro pode ser um ótimo delator para identificar odores femininos.

    5-) Paninho do carro – No carro de quase todos os homens há um paninho no portaluva ou mais frequentemente na porta do motorista. Acredito que a grande maioria acredita que aquele pano serve para desembaçar o vidro do carro quando ele embaça, certo? Errado. Na década de 80 isso até procedia, mas hoje qualquer carro tem um arzinho pra tirar a nuvem do vidro. Posso afirmar com muita convicção que no carro de 8 em cada 10 homens solteiros (e alguns compromissados) aquele pano tem a função de um papel higiênico. E a sua função nem sempre é para assoar o nariz. Deixo no ar. Apenas dou a dica de tempos em tempos tentar dar uma analisada no conteúdo desse pano.

    É bom deixar claro que isso são algumas formas de tentar identificar outra ou se o cara está pulando a cerca. Isso não quer dizer que se você abrir o paninho do carro do cara e tiver tudo branco e colado, você deva fazer um escândalo e terminar tudo. Aquilo de repente pode ser um ranho mesmo. A única forma de ter certeza de uma traição é o flagrante ou alguém te contar (mesmo essa algumas vezes pode não ser 100% confiável).
    kikikikiki

    ResponderExcluir
  2. Poderia fazer investigação pessoal. SUAS DICAS SÃO IMPORTANTES!
    Sherlock Holmes ficaria orgulhoso de ti.
    Poderia citar algumas dicas de como não deixar vestígios, vou pensar algo sobre as dicas que deu e tentarei fazer um manual de poligamia e poliandria. kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails