Páginas

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

PPPPP...


O sol estava mais ou menos no meio do céu, quando em 11 de fevereiro de 1929, o homem mais temido da Itália saiu dum Cadillac preto e se adentrou no Palácio de Latrão, onde era aguardado pelo Papa Pio 11 e seus puxa-sacos gabaritados. Por volta das 13 horas, o ICAR conseguiu o que havia perdido no século 19, um território independente dentro de Roma, e Mussolini o reconhecimento pela igreja como legítimo governo, neutralizando o adversário Partido Popular.
Ao longo da história o clero e posteriormente o ICAR sempre deram pitacos em outros setores da sociedade como na política.
Atualmente, a candidata petista a presidência do país é que vem tendo relações com o ICAR, relações não harmoniosas. O padre José Augusto, em sua homilia exibida ao vivo no programa da TV Canção Nova, pediu para os fiéis – não me refiro fiéis que torcem pro Corinthians – não votarem na candidada do PT, o padreco ainda soltou a franga, desceu do salto, rodou a baiana, deu a louca, baixou lhe um espírito ao dizer “Podem me matar, podem me prender, podem fazer o que quiser. Não tenho advogado nenhum. Podem me processar e, se tiver de ser preso, serei. Não tem problema, mas eu não posso me calar diante de um partido que está apoiando o aborto, e a Igreja não aprova”.
O candidato a presidência que votei não foi feliz, mas no debate promovido pela Canção Nova, alfinetou a ausência da candidata petista, a platéia foi ao delírio.
Coincidentemente evangélica, a bola da vez é a Marina, pois dizem que o PV é o desequilíbrio entre os concorrentes. Por falar em evangélicos esta é a capa da revista que ganhei quando estava no Rio me vez rir e ficar com medo do tal do anticristo. É cada uma que parece duas!
Independente de minha vertente política que é ínfima e confessar que o voto de protesto é tentador, não sei ainda o que farei dia 31 do mês corrente.
O que vejo é como as as religiões podem ajudar ou atrapalhar certos anseios e como as coisas vão além de políticas partidárias e se “esticam” envolvendo políticos, padres, pastores e outras p*.

Mato mata

 
Plantas medicinais foi uma matéria opitativa que tive na faculdade, só que o professor era ruim demais, mas demais, demais mesmo! No entanto, não o suficiente pra que eu não aprendesse nada.
Aprendemos o bê-a-bá do preparo de uma determinada planta para fins medicinais, armazenamento, secagem, embalagem, umidade e tudo mais que poderia alterar as propriedades dos matim, lógico, analisando superficialmente o princípio ativo das mesmas.
Agora parece que definitivamente as plantas medicinais e fitoterápicos vão fazer parte do elenco do SUS, digo definitivamente, pois o Programa de Medicina Tradicional é dos anos 70. No Brasil há tempos as plantas e seus derivados vêm sendo utilizadas pela população no cuidado com a saúde através dos povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais, o que forçou alguns órgãos a desenvolverem políticas, programa e regulamentos específicos para a área. Destacando o Programa de Pesquisa de Plantas Medicinais (PPPM) da Central de Medicamentos (CEME), do Ministério da Saúde, vigente entre 1982 e 1997, que realizou pesquisas com 55 espécies de plantas medicinais com o objetivo, entre outros, de “desenvolver uma terapêutica alternativa e complementar, com embasamento científico, por meio do estabelecimento de medicamentos fitoterápicos originados a partir da determinação do real valor farmacológico de preparações de uso popular, à base de plantas medicinais”; também a Politica Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) preconiza o modelo da “fitoterapia ocidental” tudo embasado sob cunho científico, com profissionais devidamente capacitados, observando os princípios do SUS além do aval da Anvisa. Atualmente 350 municipios/estados oferecem serviços voltados em plantas medicinais, sendo difundido através dos PSF.s ou ESF.s como quiser e posteriormente NASF.s. Quanto aos fitoterápicos o Ministério da Saúde pactuou com Estados e Municipios 08 medicamentos passiveis de financiamento com dispensação no SUS são eles: Alcachofra, Aroeira, Cáscara-sagrada, Espinheira-santa, Garra-do-diabo, Guaco, Isoflavona de Soja e Unha-de-gato, tais fitoterápicos e homeopáticos não interferem na distribuição de medicamentos sintéticos.
A Portaria n° 886/GM/MS de 20/04/10 que instituiu a “Fármacia Viva, define todas as etapas de cultivo, coleta, processamento manipulação, dispensação etc.
Agora vamos lá, na pós que apenas comecei a fazer tinha um professor que disse que ainda estamos enterrados no passado com os métodos de cura gaélica, nos inversos de quente-frio, seco-molhado, “quem tá gripado, por exemplo, tem que tomar chá de folha de laranja quente, mas sem ficar na friagem hein”. E a popularização disto tem que ser feita com carinho, pois a exemplo da população da região que moro e adora beber mato na água quente, se não utilizarem uma boa estratégica sobre isto – daqui a pouco tomarão até chá de Comigo-ninguém-pode. Já citei antes alguns venenos encontrados em algumas plantas e legumes como cianureto na maçã e na mandioca, além da ricina na mamona que é extremamente tóxica. E o Sô Drauzio Varella falô no Fantástico isturdia umas merdas que podem acontecer se ficá tomanô chá a riviria.
Aproveitando; quem souber onde encontro Sassafrás, porque semente de Sucupira é fácil de ser encontrada, me avise, preciso fazer uma mistura com Biotônico dizem que é bom contra tendinite, fibromialgia, bursite, reumatismo, artrose e mais umas seis ou doenças.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010


“Eu Te Vi Caminhando Sem Destino Por Ai”

Digamos que não sejam as melhores fotos que o Google Street View podería expor na internet, achei engraçadíssimo e tive que ver as fotos ao ler estas notícias “Um homem de olho nos cartazes de um cinema pornô, uma prostituta e um travesti com os seios ao léu, um bêbado caído na sarjeta, um rapaz coçando o sexo, alguém passando mal numa poça de vômito e um pedestre defecando na calçada.”
Além do mais isto aqui é Brasil, não é Teletubbieland a terra onde os Teletubbies habitam. Aqui o pau canta, e muita gente adora fazer uma gracinha quando sabe que tá sendo focado, é só ter uma brechinha.
As opiniões são diferentes das pessoas quanto aos flagras dados.
Será que em outros países ocorreram de forma diferente, todo mundo bunitim caminhando com a família e um cão pelos parques, ruas limpas, cartazes informativos, ambientes familiares?...

www://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/1124-google-street-view

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

GarniZÉ III

Semana passada tive que dar um pulo na cidade maravilhosa e acabei vendo e vivendo umas coisas engraçadas. Sabem aqueles restaurantes de R$ 1,00 com o apelido pomposo de restaurante “Garotinho”com bandejão, suco e sobremesa? Almocei lá. É o típico local onde se desamarrassem lá um antropólogo e um chimpanzé a conclusão de ambos seria a mesma talvez. Como um pseudo carioca ixperto, fui pá geral mermo, poxa! Só um realzinho mermão!
No outro dia pelo oficio, tive que ir pras bandas da Central do Brasil onde dentro da referida senti uma fadiga enorme ao duvidar se as pessoas estavam correndo, todas as pessoas. Duvida sanada por minha excelsa, sim, estavam correndo. É simplesmente estranho, pessoas semi-desesperadas correndo, parece que iriam atravessar nossos corpos. Mas o que realmente me chamou a atenção foi o trem. Comecei a lembrar dos conselhos de algumas pessoas sobre preferir o transporte coletivo, diminuindo o efeito estufa... alguns destes imbecis não sabem o que é ficar em pé quase duas horas num trem, confortavelmente socando a cacunda numa lixeira, vendo apenas braços suspensos suportando o corpo e ouvindo os vendedores ambulantes tentando garantir o pão de cada dia. Lamentei nosso pé-duro estar tão longe e também não conhecer o caminho onde estava, incomparável transporte próprio a coletivos!

Foto tirada do meu Made In China do vagão que estava

Boa parte dos bestas que dizem o mesmo blá blá blá referente ao dióxido de carbono nem sabem como rola o esquema quimicamente falando e ficam falando asneiras, mas sem despregarem o rabo de seus carros.
De volta a minha bucólica micropoles, me assustei ao ver o rostinho de minha filhota parecido com a lua maqueada com pó-de-arroz. Malditos pernilongos!E tá em quase toda cidade, como disse um cara da Funasa, o problema é físico e não químico, ou seja, tirar toda água empoçada, a mesma receita contra dengue. Só que na manhã de domingo 03/10 que me levanto vejo as ruas cobertas de colas de candidatos, panfletos, santinhos, capetinhas e toda desgraça que poderia sujar a cidade, entupir boeiros e gerar transtornos pra muita gente, principalmente para os garis. A tarde ainda deu uma chuvinha pra ajudar a grudar a papelada no chão (rs).
Só que depois, xingamos os órgãos responsáveis pela limpeza da cidade, rogamos por fumacê, levantamos as mãos para o céu, e clamamos a Jesus Cristo quando vem às enchentes ou nossos vasos sanitários parecem um chafariz.
Num dia importante para o país, em que seres bípedes que se distiguem da maioria dos animais que habitam a crosta – devido a inteligência, inteligência? -, e se auto intitulam superiores por suas escolhas de candidatos tudo com um clima envolvente de organização; dou bom dia a minha rua e até dentro do portão de minha casa a papéis no chão. Será este um dos significados de política?
Related Posts with Thumbnails