Páginas

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tadinhos!
Um dos maiores traumas que carrego desde minha infância é a morte do Ce e do Ci. Quem tem mais de 30 anos sabe do que falo; Ca, ce, ci, co - “não o CE e o Ci morreram”-, falava a professora sempre que pronunciávamos a família do Ca. Isto mesmo os dois fofinhos filhotes morreram. Acho que é por isto que adoro cães, apesar do trauma.
Por outro lado já fui aprendendo como a vida é dura, o que é perder e o peso de cada fardo, de cada dia. Mesmo sendo enganado por um bom tempo com as falsas historinhas da Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve etc.
Pelo que parece, as coisas só pioraram. As historinhas ainda continuam, as criancinhas se afundando cada vez mais em mundinhos cheios de fantasia, crescendo com a idéia de que tudo é bom e fácil. Até as musiquinhas mudaram, hoje não é “Atirei o pau no gato-to”. No meu tempo era “atirei”, era sagrado brigas depois da aula, tinha uma turminha que comiam na pedra cachorros, pessoas, cabritas e também como o deus Pã fazia. Não to dizendo que sou a favor do vandalismo infantil, mas de certa forma vivíamos uma realidade mais dura e fazíamos com que os outros também vivessem a mesma. Hoje quando vão pra escola nem a própria mochilinha as crianças carregam, os pais já se encarregam disto, talvez tirando um dos primeiros “fardos” que ela irá enfrentar pela vida.
O existencialismo de Sartre e outros filósofos, deveria nos ser ensinado desde os primeiros anos na escola para sabermos quanto é difícil a vida; que nem toda roupa que vemos num manequim ficará bonita em nosso corpo, porque a anatomia corporal dele é diferente da nossa, que o xampu que aparece no comercial não deixará seus cabelos sedosos e macios, que a cerveja que injetas no bar não o deixará rodeado de mulheres bonitas, que a estereotipagem cotidiana de vida que é apresentado nas novelas não é verdade - pra começar nem praia tem por aqui-, que mesmo com a banalização do “um milhão” ganho com facilidade com uma mensagem de celular, resposta simples de uma pergunta ou adivinhar um segredinho não ganharemos fácil este dinheiro, que o chocolate diet contem mais gordura para manter-se cremoso, que dependendo do problema as palavras fortalecedoras e de conforto ditas por outros não vão resolver o problema, e as vezes nem mesmo seu esforço e amuletos resolvem.
Aí vêm as depressões, frustrações e as maneiras mais doloridas de aprender ou ao menos aceitar a vida, visitas de igreja a botecos, a psiquiatras, psicólogos, miligramas e miligramas de qualquer coisa que nos indicam pra vivermos dopados e vermos nossos elefantes brancos (problemas) se transformando em camundonguinhos brancos. Tudo em vão!
Ninguém é implacável, imbatível, super. Eu já escondi de mim embaixo da cama, morro de medo de baratas e do Silvio Santos, mas como disse Sartre uma vez “Todos os homens têm medo. Quem não tem medo não é normal; isso nada tem a ver com a coragem.”
Related Posts with Thumbnails